quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Abandono de cães filhotes na Indonésia - Reflexão

Hoje pela manhã, ao me conectar ao mundo virtual li uma notícia no Terra que me chocou um pouco. Trata-se do abandono de cães, em uma vila da Indonésia onde o terrítório esta sendo invadido por um vulcão.
Esta reportagem me leva a uma grande reflexão: Será que eu teria coragem de abandonar meu cão? Acho que não hein... por mais extrema que fosse a situação. Só de pensar me dá um nó na garganta!
Leiam a reportagem abaixo.
Um beijo a todos!

http://noticias.terra.com.br/mundo/noticias/0,,OI4678924-EI8143,00-Abandonados+em+meio+a+erupcao+filhotes+de+caes+cercam+vulcao.html

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Política X Animais

Alguém já questionou o que o seu candidato fará em prol dos animais? Eu já, e vc? Bjs, Nati

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Felinos também sofrem com problemas renais

Fonte: Ribeirão Preto Online

Doenças renais são comuns em gatos. Por passarem muito tempo deitados, não é fácil detectar quando um felino está doente e, por isso, uma simples infecção urinária pode evoluir para uma grave doença. Tais doenças podem ser de origem genética, mas na maioria dos casos elas se manifestam devido a uma alimentação errada e pouca água a disposição do animal.

Segundo a médica veterinária Ronivaina Almeida, cães e gatos podem sofrer com as doenças renais, porém, o problema se manifesta principalmente nos felinos. “Infecção urinária, nefrite, insuficiência e cálculos renais são comuns em gatos machos castrados. Os donos devem ficar atentos a qualquer mudança no comportamento do animal”, afirma.

O tratamento das doenças renais varia de acordo com a gravidade do caso do animal. Para evitá-las o animal deve comer uma ração adequada e beber água filtrada e fresca, além disso, os donos devem estar sempre atentos com a cor da urina do bichinho.

sábado, 7 de agosto de 2010

Diário de Bordo: Lina

A cestinha era de flores, mas a Lina adorou!

Frase

Felizes os cães, que pelo faro descobrem os amigos.
Machado de Assis

sexta-feira, 6 de agosto de 2010

Mais um lindo trabalho: Cães sem raça são protagonistas de filme que estréia em outubro

Além do longa-metragem, projeto conta ainda com a publicação de um livro, que retrata a vida dos cachorros de rua, incentivando a responsabilidade social.

Vistos com certo preconceito pela sociedade, os chamados “SRD-SEM RAÇA DEFINIDA ou VIRA LATAS” têm alcançado cada vez mais espaço na sociedade. Mas os esforços de abrigos e centros de adoção ainda não são suficientes para mudar a realidade de milhares de ANIMAIS que ainda vivem pelas ruas do Brasil e do mundo.

A educação NO SENTIDO DE concientizar AS PESSOAS é uma das melhores formas de informá-las sobre a importância de cuidarmos desses fiéis amigos. Um dos muitos colaboradores DESTA COINCENTIZAÇÃO é o publicitário Tiago Ferigoli.

Tiago Ferigoli, além de assinar as fotografias da obra “VIRA-LATAS – Os Verdadeiros Cães de Raça”, lançado em 2009, também é diretor de um documentário de mesmo nome, um longa-metragem que estréia em outubro de 2010.

O filme traz depoimentos de personalidades como Ronnie Von (cantor e apresentador do programa Todo Seu / Tv Gazeta), Heródoto Barbeiro (jornalista) e Danilo Gentili (comediante e repórter do CQC / Tv Bandeirantes), além de outros profissionais que contam sua experiência com cães que vivem em rua.


“Apesar das filmagens terem ocorrido em cidades como São Paulo, Rio de Janeiro, Campinas e São José dos Campos, um dos objetivos foi não caracterizar nenhuma região, já que a realidade de cães de rua está presente em todo o Brasil e mundo(…). As cidades serviram como plano de fundo para uma mensagem muito maior, uma mensagem de cidadania, de responsabilidade social”, comenta Ferigoli.

O projeto

O diretor conta que sempre teve contato com cães e, que, sabe muito bem o quanto estes ‘fiéis amigos’ nos ensinam, mas foi apenas depois de desenvolver o PROJETO VIRA LATA que seu olhar se expandiu. “Agora entendo o quanto estamos todos interligados. Só quando entramos em contato com estes cães é que compreendemos o significado de vira-latas(…).Vira-lata significa estar abandonado, ter que lutar para sobreviver, sofrer de preconceito. Não tem a ver com a raça do animal, a não ser a raça pela sobrevivência”, relata ele.

Ferigoli destaca que ao compreender o que é ser vira-lata, é possível aplicar o termo a questões que muitos seres humanos passam no dia a dia. Ou seja, ao tomar consciência do universo em que vivem os cachorros de rua, de certa forma, nós compreendemos a situação de pessoas desamparadas.

Segundo o diretor, assim como muitos que moram nas ruas, o cão não está lá por que ele quer, mas o “é resultado do que nós fizemos e ainda fazemos, direta ou indiretamente, seja no trabalho, na educação que damos aos nossos filhos ou no respeito que temos pelo próximo”.

Vira-Latas – Os Verdadeiros Cães de Raça
Lançamento: outubro de 2010
Direção: Tiago Ferigoli
Duração: aprox. 60 min.
Elenco: Heródoto Barbeiro, Danilo Gentili, Ronnie Von
Site: www.vira-latas.com

Por Redação Portal da Cinofilia
São Paulo/SP

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Diário de bordo - Educação

Ontem aqui em Porto Alegre vi uma cena deplorável, de uma deselegância e falta de educação tamanha.

Uma senhora passeava com seu cão, Lhasa Apso, em uma das ruas de Porto Alegre e em um momento do passeio seu cão parou para fazer suas necessidades. Até ai tudo bem.

Só que a Sra, virou as costas e não recolheu as necessidades de seu amigo e deixou ali, para que os próximos que passassem pudessem ver, apreciar e quem sabe pisar em cima.

Fica um questionamento meu sobre a educação das pessoas. Como querem um cão educado se o dono não ajuda?

Sei que pode parecer bobagem este assunto. Mas são estas pequenas coisas que mostram a educação de uma pessoa.

Fiquei realmente muito impressionada com isto e toco no assunto porque realmente não acreditei que isto ainda pudesse existir!

Bjs, Nati

terça-feira, 3 de agosto de 2010

Exposição em Ijuí (RS) reúne fotos de cães e gatos retirados do abandono

Imagens foram registrados pelas próprias pessoas que adotaram os animais

Eles estão por toda parte. Carentes, com cara de pidões, são milhares os animais abandonados pelas ruas das cidades. Muitos são vítimas de acidentes, alguns da crueldade humana. Uns não resistem à fome, ao frio e acabam morrendo de forma triste: sozinhos. Para minimizar esse problema, um grupo de Ijuí (RS) criou a Associação Protetores da Vida (APV).

A Associação não tem uma sede própria. Os envolvidos entendem que o local poderia incentivar o abandono de animais. Juntos, eles auxiliam a firmar uma corrente de solidariedade em prol dos vira-latas. Uma das ações pode ser observada no Fórum de Ijuí até o dia 7 de agosto. É a mostra fotográfica “Somos todos vira-latas”, que conta com aproximadamente 100 fotografias de cães e gatos feitas pelos próprios tuores, que adotaram os animais.


Cada um deles tem uma história, a maioria, triste. É o caso de Espinafre, um cachorro muito velho que por anos viveu nas ruas de Ijuí. Ele foi atropelado e teve uma das pernas mutiladas. Recolhido pela ONG, foi encaminhado para Santa Maria, onde teve a perna amputada. Agora é um velhinho feliz: vive com uma família adotiva.

Fonte: Zero Hora

sábado, 24 de julho de 2010

Amigos!

Oi pessoal.


Em homenagem à semana do amigo, gostaria de publicar aqui o texto da minha coluna deste mês no Blog do Movimento.
Gostaria de compartilhar com vocês meus seguidores, o texto que fala desta amizade linda que temos com nossos animais.


Deus abençõe a todos, e que continuemos nossa amizade, mesmo que virtual, mais em prol de um bem maior: Nossos animais! Um beijo, Nati


Dia do amigo: O Laço profundo que une os animais e as pessoas



Para comemorarmos o dia do amigo em bom estilo, vou falar sobre nada mais nada menos do que a amizade de animais e pessoas.


Minha convivência com animais não tem sido diferente. A cada dia, a cada novo amanhecer eles me provam que nossas escolhas são comuns, eu escolho a eles e eles a mim. É uma troca, um amor mútuo, um amor de verdade. Vejo pelo meu cão o Zé: a cada noite, faça chuva ou sol ele me espera no portão. Desde que o peguei pequeno e fraco na rua, nosso amor se firmou através de olhares e através de uma confiança sincera, pois ele sabia que eu ia lhe salvar. Nossas vidas se cruzaram de uma maneira tão intensa que hoje, após 6 anos de vida do Zé posso dizer sim que ele é o meu melhor amigo, meu companheiro fiel.

A amizade ente um cão e um humano é tão bonita que cada vez mais as pessoas buscam nos caninos, a forma de amor incondional, e posso garantir que os conseguem. Um cão o ama do jeito que você é, e muitas pessoas dizem, “é apenas um cão”. Estas pessoas não sabem do tempo percorrido ou dos custos que significam o “apenas um cão”.

Um cão é alegria, são tristezas amenizadas e um conforto para seguir em frente. Um cão é o que nos torna mais humano, mais homem e mais amoroso. Quem tem um cão sabe o real sentido de uma amizade.

Feliz dia do amigo!

quinta-feira, 22 de julho de 2010

Convívio com animais de estimação reforça sistema imunológico, afirma estudo

Levantamento foi feito pela USP

Os benefícios da presença de um animal de estimação em casa não se restringem às alegrias que o pet proporciona a toda família. Esta convivência também pode contribuir, além do bem-estar psicológico, na prevenção e no auxílio ao tratamento de várias patologias.

Um levantamento de estudos nacionais e internacionais sobre o tema, encomendado pela Comissão de Animais de Companhia (Comac), integrante do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (Sindan), para um grupo de pesquisa do Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de São Paulo (USP), liderado pelo professor César Ades, reuniu uma série de estudos que confirmam esta contribuição à saúde das pessoas proporcionada pelo convívio com os animais de estimação.

Entre as principais observações, pode-se destacar a melhora da imunidade de crianças e adultos, redução dos níveis de estresse e da incidência de doenças comuns, como dor de cabeça ou resfriado.

Reforço na defesa do organismo

De acordo com o levantamento, os benefícios independem da idade. Os pesquisadores da USP citam um trabalho que identificou vários benefícios aos bebês que convivem com cães, já que certas proteínas que desempenham um importante papel na regulação do sistema imunológico e das alergias aumentam significativamente em bebês de um ano de idade quando expostos precocemente a um cão, conferindo um importante papel destes animais na saúde humana.

Segundo a pesquisadora Carine Savalli Redígolo, este trabalho mostra que o convívio possibilita aos bebês ficar menos suscetíveis às alergias e dermatites tópicas.

- Também foi observada a redução de rinites alérgicas aos quatro anos de idade e aos seis a sete anos, devido à redução da imunoglubina E, um anticorpo que quando em altas concentrações sugere um processo alérgico - acrescenta.

Os pesquisadores alertam que este contato não significa que seja isento de possíveis efeitos negativos para a saúde, porém, é possível discutir com mais equilíbrio os prós e contras de possuir um cão.

De acordo com a pesquisa do Radar Pet, idealizada pela Comac, ainda há resistência dos casais que possuem filhos pequenos adquirirem um animal de estimação: 44% das residências que têm pelo menos um pet são de casais com filhos jovens ou adolescentes; este número cai para 16% quando se trata de casais com filhos pequenos (até nove anos).

Um gesto simples pode trazer importantes efeitos ao sistema imunológico de pessoas de qualquer idade.

- Acariciar um cão pode elevar os níveis de imunoglobulina A, um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação viral ou bacteriana, sendo importante na prevenção de várias patologias. Este resultado se deve, possivelmente, ao relaxamento que o contato com o animal proporciona - explica Carine.

Benefícios ao coração

Outros estudos identificados pelos pesquisadores da USP também avaliaram as taxas de sobrevivência, no ano posterior a um infarto agudo do miocárdio, em donos de cães, gatos, outros animais de estimação e em pessoas que não possuíam bichos. Segundo os pesquisadores, depois de determinado período, verificou-se que a posse de um cão contribuiu significativamente para a sobrevivência dos pacientes, pelo menos no ano seguinte ao incidente.

Também foram apontados benefícios no controle de hipertensão arterial. Profissionais que viviam em condições de estresse, faziam controle do problema com medicação, foram divididos em dois grupos, os que possuíam um cão ou gato e os que não possuíam animais.

A pesquisadora Maria Mascarenhas Brandão afirma que, seis meses depois do início do monitoramento, um dos trabalhos constatou que as taxas de pressão diminuíram para ambos os grupos. Entretanto, nas situações geradoras de estresse a resposta foi melhor para os donos de cães.

- Além disso, este grupo aumentou significativamente suas taxas de acertos em contas matemáticas, em relação àqueles que não possuíam os animais -, acrescenta. Esta situação mostrou a diminuição dos níveis de estresse, obtidos com o contato com os pets.

Algumas outras situações também trazem efeitos muito positivos à saúde e ao convívio social: a duração das caminhadas é maior para aquelas pessoas que estão acompanhadas por um cão.

- Além disso, nestes passeios, os animais ajudam na integração social, contribuindo para o início de uma conversa com outras pessoas, por exemplo - confirma Maria.

Ainda segundo uma destas pesquisas, pessoas com problemas simples de saúde, como dores de cabeça, problemas estomacais, gripes, dentre outros, que adotaram pela primeira vez um animal de estimação, apresentaram redução significativa desses problemas menores de saúde, em relação a pessoas sem animais.

Fonte: ZeroHora.com

terça-feira, 20 de julho de 2010

Estudo mostra que cães que rosnam e mordem muito podem sofrer de depressão

Cientistas revelaram que cães que rosnam e mordem não são necessariamente agressivos por natureza e podem estar simplesmente sofrendo de depressão. No estudo, os autores dizem que a descoberta poderia levar a novos tratamentos para agressão canina.

Uma pesquisa sobre animais que convivem em várias famílias mostrou que os cachorros que têm um comportamento menos saudável tendem a apresentar níveis mais baixos de serotonina do que os mais calmos. No ser humano, a queda na serotonina está ligada a depressão, ansiedade e mudanças de humor.

Belen Rosado, da Universidade de Zaragoza, na Espanha, que chefiou a pesquisa, disse que a agressão, principalmente quando é dirigida a seres humanos, é o problema de comportamento mais frequente em cachorros.

Os estudiosos testaram amostras de sangue de 80 cachorros enviados a dois hospitais veterinários de ensino depois que seus tutores reclamaram da agressividade deles.

Quando o sangue foi comparado a amostras de 19 cachorros com comportamento normal, os pesquisadores descobriram que os animais irritados e zangados tinham menores concentrações de serotonina.

Os níveis baixos do neurotransmissor foram encontrados em cães cujo comportamento antissocial parece ser uma tentativa de autodefesa. Os cães mais irritados também tinham níveis mais altos do hormônio do estresse, o cortisol, segundo os pesquisadores na revista científica Ciência do Comportamento Animal.

Os veterinários dizem que os cachorros são mais vulneráveis à depressão se não passeiam o suficiente ou se ficam muitas horas sozinhos todos os dias.


Fonte: R7

sábado, 17 de julho de 2010

Revoltante! Protetores, vamos nos manifestar!

Direto do blog Patinhas sem Dono...

HOJE, DIA 16/07/2010, POR VOLTA DAS 14:15 HS, NO CANAL 2, REDE RECORD, NO PROGRAMA BALANÇO GERAL, COM O APRESENTADOR MAURO TRAMONTE, FOI EXIBIDO UM VÍDEO, MOSTRANDO O ESPANCAMENTO DE UM PIT BULL, NA CIDADE DE PELOTAS.


O PRÓPRIO DONO O ESPANCOU MUIIIITOOOOOOOOO. .. E QUANDO O CÃO CONSEGUE SAIR DEBAIXO DAS PANCADARIAS DESSE DESGRAÇADO, ELE O BUSCA NOVAMENTE PELA CORRENTE E O AGREDE MAIS AINDA!!!

SEGUE O VÍDEO: http://mediacenter. clicrbs.com. br/templates/ player.aspx? uf=1&contentID=124750&channel=45

O VIZINHO DESSE MONSTRO, CANSADO DE VER O CÃO APANHAR, COLOCOU UMA CÂMERA E FILMOU TUDO E ENTREGOU O VÍDEO A POLÍCIA.

COMO A GENTE SABE QUE NO BRASIL É TUDO MUITO LENNNNTOOOOOO. ...

VAMOS FAZER BARULHOOO!!! !

ENCONTREI UM SITE QUE ESTÁ FALANDO SOBRE O CASO:

http://redebichos. ning.com/ forum/topics/ atencao-tv- mostra-espancame nto?commentId= 3060656%3ACommen t%3A108685&xg_source=activity

ALÔOOO PELOTASSSSSSSS! !!!

CADÊ OS PROTETORES PRA CAIR EM CIMA DESSE CASO?

REPASSEM ESTE EMAIL ATÉ CHEGAR A CIDADE ONDE ACONTECEU, PARA QUE PROVIDÊNCIAS SEJAM TOMADAS!!!!

ESTOU MUITO INDIGNADA!!! !!!!!!!!! !!!!!

CONTO COM O REPASSE DE TODOS!

quarta-feira, 14 de julho de 2010

Estudo sobre comportamento canino

Cão bem comportado vive mais, diz estudo

Educação e bom comportamento não são qualidades exclusivas do ser humano. Cães que possuem tais qualidades vivem mais, segundo estudo realizado no Canadá e publicado na revista americana Newscientist.

Animais que não tiveram a chance de aprender a se comportar e são agressivos, sempre se colocam no limite. Não há necessidade de sofrer com mal comportamento dos cães, pois, há profissionais treinados para ajudar, no caso um consultor ou adestrador, que são os professores dos bichinhos.

Os cães são capazes de surpreender e para eles não tem limite de idade para aprender algo. Eles convivem muito com as pessoas e acabam surpreendendo com suas habilidades de compreensão, tenacidade para aprender e agradar.

Por isso, é importante educá-los, pois, isso demonstra interesse e respeito ao seu cãozinho

Fonte: Ribeirão Preto Online

terça-feira, 13 de julho de 2010

Diário de bordo: Flor

Depois que a Flor teve seus filhos, tenho notado que ela está mais sensível... Nestas noites frias de chuvas, com muitas trovoadas ela apresentou pânico dos trovões. Tento acalmá-la e converso com ela até que ela durma...
Evito dar tranquilizantes, mesmo tento preescrição médica, pois assim como nós, eles se tornam dependentes também.
O fato é que isto ocorreu depois da gravidez. Tadinha da minha mascotinha!!! Ela é tão "serelepe" mas as vezes tem seus medos, assim como nós.

Bjs, Nati

sábado, 10 de julho de 2010

Frase da semana

"Eu conheci muitos pensadores e muitos gatos, mas a sabedoria de gatos é infinitamente superior." (Hippolyte Taine)

Feira na Bahia

domingo, 4 de julho de 2010

Como Cães e Gatos

Aqui em casa, meus cães e gatos convivem numa boa! A maior prova disto é um post aqui do blog, um pouco antigo que conta a história da minha cadela Flor que adotou o gatinho Manoel, ainda quando ele era bem pequeno arrecém resgatado das ruas. Apesar de ela na época não ter tido nenhuma cria ainda, seu instinto maternal falou mais alto e amamentou o pequeno felino.
Todos aqui nesta grande família felina e canina são amigos. O meu segredo, nem sei se é uma novidade, é que a cada amigo novo que chega na casa, conversamos com cada um dos mais antigos, apresentando o novo e explicando toda a nova situação. Podem dizer que eles não entendem, mas aqui funciona e muito bem esta fórmula que eu considero mágica.
Li uma reportagem que quero compartilhar com vocês, sobre a convivencia dos cães e gatos já que está prestes a estreiar o filme "Como cães e gatos 2". Deixo pra todos um ótimo domingo e um grande abraço!

Saiba como amaciar a relação de cães e gatos debaixo do mesmo teto


As desavenças entre felinos e caninos estão bem documentadas nos desenhos animados e filmes. Em se-

tembro, por exemplo, os fãs de histórias de animais vão se divertir com a sequência de “Como Cães e Gatos 2”. Desta vez, latidos e miados vão precisar entrar em sintonia contra as forças do mal.

Mas se você pensa que a união desses dois bichinhos só acontece na ficção se engana. O veterinário Maurício Davidovich dá a dica do que você pode fazer para amaciar a relação:

— O ideal é que tanto o cachorro quanto o gato convivam desde filhotes. Se um dos dois for adulto, é mais fácil um cachorro aceitar um gato, do que o contrário. Antes de apresentar um animal ao outro, introduza cheiros ao que já está na casa há mais tempo e force um contato visual, antes da aproximação. Supervisione sempre os primeiros contatos para que não aconteçam brigas.

A jornalista Déborah Gonçalves conta que na casa dela a gatinha Pantera e a poodle Penélope falam a mesma língua, há 16 anos:

— A minha gata Pantera, de 19 anos, assistiu ao parto da minha cachorrinha Sofia, que já morreu e se considera uma protetora da Penélope (filhote). Elas sempre conviveram na mais santa paz.

O veterinário confirma que a convivência é perfeitamente possível:

— Conheço diversas pessoas que têm cães e gatos na mesma casa, convivendo sem problema algum. Eles são amigos e alguns até dormem abraçados.

Fonte: Extra Online

sábado, 3 de julho de 2010

Frase da semana

Todo o cachorro independentemente do seu sexo, é complemento da vida humana. Todo o ser humano deveria experimentar amar um cão , só assim entenderia o que é amor . Todo o ser vivo é uma manifestação da natureza, e a natureza é uma manifestação da vida


Altair Pereira

quinta-feira, 1 de julho de 2010

Ajuda URGENTE - É só Assinar!

AMIGOS, PRECISAMOS NOS MANIFESTAR CONTRA ESSA CRUELDADE:
O Deputado EDSON PORTILHO, DO RIO GRANDE DO SUL, teve a desventura de criar um projeto de lei que permite que os animais sejam torturados e sacrificados em rituais religiosos. O parlamentar, sabendo que os protetores dos animais se manifestariam, fez a seguinte trama: marcou a apresentação para votação da lei num dia de julho, mas fez um chamado urgente e marcou a reunião às pressas, mais cedo. Os únicos avisados foram os demais deputados. Ou seja: não havia defesa. Os animais não tiveram oportunidade de ter pessoas que os representassem. Quem poderia responder por eles? E aconteceu o que mais temíamos: houve 32 votos contra os animais e apenas 2 a favor.

Assine a favor da defesa da vida animal Ajudem a Lei de proteção animal: ''É rapido, só preencher o formulario no link abaixo'' http://www.leideprotecaoanimal.com.br/

Não podemos deixar uma barbaridade dessas assim.

PRECISAMOS de 500 MIL ASSINATURAS URGENTE!!!

Repassem para ao máximo de pessoas!

Diário de Bordo: Manoel

O Dr Pet ia se orgulhar do que vou contar agora, mas na verdade eu é que me orgulho...
O meu gato, o Manoel aprendeu a pedir comida quando está com fome. Ele bate a porta do armário da cozinha exatamente 3 vezes para pedir a ração. Não é lindo e inteligente? Ele é um amor... Para homenageá-lo vou postar uma foto do meu lindo! Bjs, Nati

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Coluna da Mulher bixano

Lembram daquela frase, "a união faz a força"? Pois é unindo as pessoas que amam os animais que tem intensificado cada vez mais este lindo trabalho em prol dos nossos peludos. E uma grande parceira nesta causa, é a Carol do blog meubixano.blogspot.com, que está com uma coluna belíssima lá no Blog do Movimento.
Apreciem: http://movimentovamosadotarumcao.blogspot.com/2010/06/estreia-no-blog-coluna-mulher-bixano.html


Carol! Parabéns pela sua coluna. Realmente ficou muito linda. Bjs, Nati

sábado, 26 de junho de 2010

Frase da semana

"O gato não pede amor. Nem depende dele. Mas, quando o sente, é capaz de amar muito. Um gato é um italiano educado na Inglaterra. Sente como um italiano mas se comporta como um lorde inglês." (Artur da Távola)

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Guia de primeiros socorros para cães e gatos

Você sabe avaliar quando seu cão está com febre? Qual o batimento cardíaco normal de um gato? Quem tem um animal de estimação em casa precisa estar atento ao seu comportamento. Falta de apetite e apatia, por exemplo, podem esconder diversas doenças. Isso sem falar nos acidentes e imprevistos tão comuns na vida dos pets.

Para ajudar os donos na hora de uma emergência e evitar o tempo perdido com medos e indecisões – que podem até ser fatais para os animais – a americana especializada em medicina de emergência Amy D. Shojai, que já publicou 12 livros sobre animais de estimação, escreveu Primeiros Socorros para Cães e Datos (Gutenberg Editora, R$ 49,90, 432 páginas), que acaba de ganhar uma versão em português.

No livro, a autora mostra técnicas de imobilização e de ressuscitação cardiopulmonar, dá dicas de quais e em que quantidades os remédios para humanos podem ser usados nos animais e ensina como avaliar os principais sinais vitais de cães e gatos (confira quadro no final desta reportagem).

O guia ainda lista um kit de primeiros socorros que a pessoa deve ter em casa. Entre os materiais sugeridos pelo livro, estão tesouras sem pontas (para curativos), focinheira, termômetro clínico, tosquiador elétrico (para aparar pelos em volta de feridas), plástico bolha (para tala de imobilização) e soro fisiológico (para limpar feridas).

A veterinária da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Adriana da Costa Val, que participou da revisão de conteúdo para a versão em português da publicação, afirma que o livro deve ser visto como um meio de orientação para os donos, mas não deve substituir a avaliação e os cuidados de um profissional.

Adriana diz que alguns procedimentos que estão no guia podem ser ensinados no consultório e repetidos em casa pelo dono do animal, como a limpeza das orelhas e a medição da temperatura, por exemplo. Mas é preciso cuidado. “A temperatura é medida através do reto, o que pode causar incômodo ao animal se não for feito corretamente”, alerta Adriana.

De acordo com a veterinária, as regras básicas para a boa saúde de seu bicho de estimação são oferecer água fresca e comida de boa qualidade, não deixar objetos perigosos ao alcance deles (canetas, remédios, produtos de limpeza) e analisar se o ambiente onde ele costuma ficar é realmente seguro. O check-up de saúde deve ser feito a cada seis meses e as principais vacinas devem ser atualizadas uma vez por ano.

Fonte: Época

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Crônica do Leon

Pessoal,

Convidei uma pessoa muito especial para escrever uma crônica para meu blog, e para minha surpresa recebi uma homenagem.
Quero agradecer ao Leon pelo belo texto que publico abaixo, pois na tentativa de enriquecer meu blog com palavras de sábios conhecedores da causa animal, recebi uma crônica com um texto de tamanha delicadeza, inspiração e luz!
Fico muito contente por encontrar a cada dia que passa pessoas como você e como o Leon, que são incansáveis ao cuidar dos nossos bichinhos. É muito gratificante conhecer e trocar conhecimentos com pessoas de coração bom.

Um grande Beijo, Nati

AMOR DE MÃE IGUAL AMOR DE NATI


O amor não está no mundo para ser desperdiçado ou na última hipótese, fazermos um mau uso dele. A sorte é que existe um grupo de pessoas que traz ele como uma grande vitrine. Ao olharmos no rosto de alguém aparece logo uma manifestação. É representado por sinais, como: um sorriso, um gesto ou uma palavra. Tudo nos leva a perceber que a felicidade teima em permanecer, o que é muito bom para toda humanidade.

Nesse seleto grupo estão todos aqueles que vivem sob o signo da vida, a vida de ajudar outras vidas e por isso tem diversos nomes. Porém um deles tem um valor ímpar: Os protetores e defensores da causa animal.

São pessoas que vivem pra proteger qualquer tipo de espécie de bicho, seja ela qual for, sua atitude sempre será nobre. Considero-me uma delas, pois também sou comovido, envolvido e defensor com meus textos (como um mero escritor) e com a divulgação feita no blog do movimento “Vamos Adotar Um Cão”, das sensações daqueles que falam latindo, miando, rugindo e até mesmo cantando, sem saber do perigo que o espera. Mesmo minha contribuição sendo literária, vejo que ela colabora. É uma gota nesse oceano de solidariedade “animal”. Admito ser muito pouco, mas a verdade é que ajudo aumentar as marés de socorro aos animais de rua.

Mas o que tem haver o amor nessa crônica? Bem, eu explico: O amor também tem suas variantes e essa, o amor pelos animais, pulsa no peito de maneira diferente, quase paternal ou maternal. As mulheres mais sensíveis entenderão bem ao que me refiro, a tristeza que é quando se coloca em casa um animal para ser adotado e por sorte do destino aparece alguém pra levá-lo.

Recentemente aconteceu isso, minha amiga de internet e parceira na causa animal, Natália, passou por um sentido maternal fortíssimo ao ter de deixar ir embora um cachorro que esperava por uma adoção. O tempo de espera foi suficiente para o amor brotasse intenso num relacionamento “animal” (o cuidar, o zelar pelo canino de rua) é nessa hora que começam as preocupações de mãe. Haja Sofrimento... Na cabeça só indagações e dúvidas: Será que vai ser bem cuidado? Terá carinho? E o amor pelo cachorrinho vai continuar? Sabe Deus... Não há dúvida: mãe que é mãe, em qualquer situação procede da mesma forma. Que o diga Nati, do blog Mãe Cão, Mãe Gato.

Seu amor de mãe me “beliscou” e me atiçou ao ponto de escrever uma crônica pra registrar no mundo virtual, o tipo de amor que nos induz a manter levantada a bandeira que dedicamos à proteção, aos cuidados e principalmente a afeição que temos a todos os animais no mundo.

Aproveito para parabenizá-la pelo seu ato. Realmente tocante para quem sabe conjugar o verbo amar nas mais diversas variantes e matizes. O amor não pode deixar de existir na sua forma “in natura”, aquela que traz consigo coisas boas e significantes.

O grupo de pessoas do “amor visível” terá de aumentar para se multiplicar mundo afora. Temos de ter esse compromisso em nome do amor e de suas possibilidades transformadoras. A felicidade é o nosso melhor exemplo. Esteja certo disso!!!

Visite:movimentovamosadotarumcao.blogspot.com

terça-feira, 22 de junho de 2010

Campanha contra o uso de pele invade o SPFW

Quem andava pelo evento, encontrava cartazes e adesivos com os dizeres: “A moda precisa ser ética, deixar em paz os animais."

Nesta temporada em que coletes e casacos peludos viraram hit entre os fashionistas, uma campanha contra a utilização de peles de animais como matéria-prima para roupas apareceu nos banheiros no último dia do São Paulo Fashion Week,.

Quem andava pelo evento, encontrava cartazes e adesivos com os dizeres: “A moda precisa ser ética, deixar em paz os animais – suas penas, seu couro e suas peles(...)”. A ação foi organizada pela ONG Move Institute, de SP, comandada pela designer Adriana Pierin.

Com cinco meses de existência, a organização age em eventos grandes – na Parada Gay de SP distribuiu 30 mil flyers contra maus tratos de animais – e, na SPFW, o dedo foi colocado na ferida de quem utiliza peles, couros e penas e de empresas que testam seus produtos nos bichos.

“A moda brasileira copia as tendências europeias. Não precisamos de couro e peles no nosso inverno. Os profissionais da moda têm de exigir que sejam desenvolvidos materiais ecologicamente corretos. O moda está acomodada e não procura alternativas para se adaptar”, aponta Adriana, ativista há 20 anos.

O cuidado com o design das peças informativas é um diferencial da ONG, tanto que ela foi convidada a expor seus cartazes no Festival Parede, que está rolando no Centro Cultural da Justiça Federal, no Rio.

O próximo passo é organizar um ensaio fotográfico com celebs que já aderiram à causa: Mari Moon e Kika, da MTV, Carlos Careqa, Guto Lacaz e Marina Dias. E é provável que a Move feche parceria com uma ONG francesa. “Agora, quero captar o interesse do poder público, porque a conscientização é a solução.

"Pegar animais para cuidar é enxugar gelo”, afirma Adriana, que pretende contatar Paulo Borges, o homem por trás da SPFW e do Fashion Rio, para que organizem juntos uma ação durante a próxima edição das semanas de moda.

Fonte: http://www.bichoderua.org.br/

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Reflexão

Ótima reflexão do Diário Catarinense de ontem...
Compartilho com todos, esta mensagem que nos faz perceber uma das grandes causas do abandono de animais... o Cão da Moda!

REFLEXÃO


Inventar demais, inovar de menos. Nem os cachorros escapam da tal teoria. Se nos anos 1980 o cão de pequeno porte mais desejado era o pequinês, o shih tzu, considerado uma espécie de similar dele, hoje é um dos mais vendidos.

– O problema disso é que, muitas vezes, a raça da moda não atende o que o dono quer. Quando o filme 101 Dálmatas fez sucesso, muitos pais os compraram para dar de presente aos seus filhos, mas essa raça é inadequada para crianças por se tratar de cães impacientes e de pavio curto – explica a veterinária Giovana Mazzoti.

Diário Catarinense
20/06/2010

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Céu dos Cães / Mensagem do Filme Marley e eu


Sempre gosto de rever e me emocionar com este vídeo do Youtube... a mensagem final é extraordinária!

Pensando nesta mensagem final do filme, lembrei lá do blog Movimento Vamos adotar um cão, que tem um cantinho dedicado às pessoas que gostariam de homenagear seus cães que já estão lá no céu.
Você gostaria de recordar do seu amigo, e contar esta história para a comunidade blogueira? Estão veja abaixo este cantinho que o Leon criou, e mande sua história!

Um beijão, Nati


quarta-feira, 16 de junho de 2010

Eventos de adoção pelo Brasil - Agenda do Mês

Distrito Federal

19-06-2010 Feira de Adoção SVPI – Asa Norte – Brasília DF

Minas Gerais

19-06-2010 III Feira de Adoção de Cãe e Gatos ASPAA – Centro – Patos de Minas MG

Paraná

19-06-2010 Feira “Eu adotei um animal de rua. E você?” – Jardim Social – Curitiba PR

19-06-2010 Feira Permanente de Adoção de Animais – Centro – Campo Largo PR

19-06-2010 Cantinho da Adoção – Rebouças – Curitiba PR

20-06-2010 Evento de Adoção de Cães e Gatos – Centro Cívico – Curitiba PR

Rio de Janeiro

17-06-2010 Adotar é o Bicho! – Botafogo – Rio de Janeiro RJ

19-06-2010 1° Expo Intermunicipal de Cães & Gatos – Centro – Petrópolis RJ

19-06-2010 Feira de Adoções GAPA-MA Itaipava – Itaipava – Petrópolis RJ

Rio Grande do Sul

19-06-2010 Brechó Bichos do Campus/ADAAC UFRGS – Agronomia Porto Alegre RS

Santa Catarina

19-06-2010 Feira de Adoção de Animais – Saco Grande – Florianópolis SC

São Paulo
Grande SP

19-06-2010 Feira de Adoção Deixe Viver – Jardim Paraventi – Guarulhos SP

19-06-2010 Feira de Doação de Cães e Gatos “Peludinhos- Amigosparasempre ” – Jordanópolis – São Bernardo do Campo SP

19-06-2010 Feira de Adoção Toca dos Gatinhos – Bela Vista / Consolação – São Paulo SP

19-06-2010 Feira de Adoção dos Anjos dos Bichos – Alphaville – Barueri SP

19-06-2010 Feira de Doação de Cães e Gatos – Higienópolis – São Paulo SP

19-06-2010 – 20-06-2010 Feira de Adoção do Grupo EstimAção – Alto – Teresópolis RJ

19-06-2010 – 20-06-2010 Feira de Doação de Cães e Gatos – Ipiranga – São Paulo SP

19-06-2010 Feira de Adoção Cães e Gatos – Picanço – Guarulhos SP

19-06-2010 Super Feira da Copa União SRD – Aclimação – São Paulo SP

19-06-2010 Feira de Adoção de Cães – Parque Continental – Osasco SP

19-06-2010 Feira de Adoção de Gatos Bicho no Parque – Bela Vista – São Paulo SP

19-06-2010 – 20-06-2010 APAA Feira de Adoção de animais – Santo Amaro – São Paulo SP

19-06-2010 Adote um Focinho Carente na Zona Norte – Tucuruvi/Tremembé – São Paulo SP

Interior

19-06-2010 Feirinha de Adoção SOS Animais Abandonados – Anhangabaú – Jundiaí SP

19-06-2010 Feira Permanente de Adoção de Cães e Gatos – Satélite – S. J. dos Campos SP

19-06-2010 Feira Permanente de Adoção – Centro – Jacareí SP

19-06-2010 – 20-06-2010 Projeto “Adote um Amigo” IEPA – Jardim Satélite – São José dos Campos SP

19-06-2010 Feira de Adoção Permanente – Parque Industrial – São José dos Campos SP

Detalhes sobre os eventos em http://www.olharanimal.net/eventos-de-adocao

Medicina Veterinária: O ano do centenário

Hoje, li uma reportagem na Zero Hora, citando o Centenário da profissão Medicina Veterinária.
Sou uma fã, destes seres especiais que dedicam suas vidas a cuidar dos animais e parabenizo à eles pelo centanário da profissão.
Compartilho abaixo a reportagem que li. Um grande abraço.

O ano do centenário da Veterinária


Profissionais aproveitam ano de comemorações para planejar o futuro da carreiraFoi no Rio de Janeiro, em 1910. Lá nasceu a primeira escola de Veterinária do país, a Escola de Veterinária do Exército. E, nesses cem anos, as mulheres, por exemplo, viraram maioria nas salas de aula. Os veterinários investiram mais em especialidades e até as células-tronco se tornaram opção para tratamentos. Mas uma coisa não muda, a obsessão pelo bem-estar dos animais.

– Isso não podemos perder nunca, o carinho pelos animais, pelo seu bem-estar. E, se for um animal para abate, por exemplo, isso significa cuidar para que esse processo seja correto – afirma a professora Cristina Zaffari Grecelle, diretora do Hospital Veterinário da Universidade Luterana do Brasil (Ulbra).

Mas ela alerta que há uma área promissora para a carreira, fugindo do tradicional cuidado com cães, gatos ou animais de grande porte. Trata-se do controle de qualidade de alimentos de origem animal, como leite, carnes e seus derivados. Cristina vê a preocupação das empresas com a concorrência, querendo se destacar pela qualidade dos seus produtos. É aí que entra o veterinário, que acompanha a produção e cuida para o cumprimento das exigências ambientais.

– É um campo não tão conhecido como tratar animais de estimação, por exemplo. Mas quem se direcionar para isso deve encontrar boas oportunidades daqui para frente, as empresas estão investindo nisso. E, antes de tudo, se preparar para estudar muito – adianta ela.

Clínicas veterinárias exigem profissional preparado

Enquanto isso, ainda segue aquecido o mercado dos animais de pequeno porte. Esse segmento, segundo o veterinário Rodrigo Lorenzoni, é forte no Brasil. Só perdemos em número de animais e em movimentação financeira para os Estados Unidos. Entretanto, ele percebe que, para montar um clínica, por exemplo, é preciso mais do que gostar de cães e gatos. É fundamental gostar de pessoas.

– É preciso saber como atender ao público, saber o que os clientes precisam, conhecer quem levará seus animais de estimação para a sua clínica. Esse preparo precisa ser mais abordado nas universidades – diz Lorenzoni, que também é conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV/RS).

Ele conta que instituições de São Paulo começam a oferecer mais disciplinas de gestão de marketing no curso de Veterinária, preparando seus egressos para o empreendedorismo. Essa tendência, acredita, chegará ao Estado. Enquanto isso não ocorre, profissionais recém-formados procuram ter experiências antes de partir para um voo independente. Fernanda Boligon Zembrzuski, 26 anos, faz residência médica-veterinária em clínica de pequenos animais no Hospital Veterinário da Ulbra. Formada pela Universidade Federal de Santa Maria, ela prevê trabalhar em clínicas para conhecer a rotina e descobrir como começar um empreendimento.

– Eu sempre quis atuar nessa área, e trabalhando no hospital me motivei mais ainda. Mas, para montar um empresa, é preciso ter uma noção que ainda não tenho. Quero atuar mais no mercado e obter experiência. Sou de Santo Ângelo, mas gostei da Região Metropolitana, quero tentar carreira por aqui – conta a médica veterinária.

Se antes ser bom era um trunfo para vencer a partida, hoje é apenas a primeira condição para entrar no jogo.

Rodrigo Lorenzoni, médico veterinário e conselheiro do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV/RS)

Fonte: zerohora.com

domingo, 13 de junho de 2010

Diário de Bordo

Os filhotes da Flor, meus dois linguiças amados já completaram 45 dias, já estão desverminados e vão ser vacinados amanhã.
A triste notícia para mim é que terei que entregá-los aos seus donos e preciso me preparar para isto. Os donos são maravilhosos e os bebês não poderiam estar em melhores mãos, mas o que fazer se aqueles olhares e aquele cheirinho gostoso não farão mais parte do meu dia-a-dia?
Bom, tenho que me fortalecer e ter a certeza de que eles serão felizes, isto me preenche, me dá forças e eu fico em Paz!

Um beijo à todos e uma ótima semana

Nati

sábado, 12 de junho de 2010

Frase da semana

"Quando faço brincadeiras com meu gato, pergunto-me se ele não se diverte mais comigo do que eu com ele." (Michel de Montaigne)

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Terapia com Animais II

Após ter postado o texto sobre terapia com os animais, continuei lendo sobre o assunto e a medida que ia lendo, me encantei cada vez mais pelo assunto.
Achei mais este texto, que explica bem direitinho os tipos de terapia com animais... Quantos idosos vemos por ai sozinhos

Terapia Animal


Trata-se do recurso a animais em programas de apoio, que auxiliam a recuperação fisica ou psicológica de crianças e adultos. Os seus principais objectos são:

  • Idosos em lares

  • Pessoas fragilizadas fisicamente ou hospitalizadas.

  • Crianças e adultos com problemas de aprendizagem ou com deficiência mental

  • Crianças e adultos fragilizados psicológicamente

  • Crianças provenientes de familias em risco e adultos com problemas sociais e de adaptação.

O que é um animal de terapia.

Trata-se de um animal que pelas suas caracteristicas comportamentais e/ou morfológicas, aliado a um treino específico permite a recuperação de traumas ou auxilia na aprendizagem. Actua geralmente com a supervisão do dono ou treinador preparado para a sua função.

Nem todos os animais podem ser animais de terapia.

Um animal de terapia deve ser calmo e inspirar confiança em quem o irá manejar, deverá sustentar o olhar das pessoas, gostar de que lhe façam festas, o abracem e toquem, mantendo-se calmo perante movimentos bruscos e barulho alto. Um animal que rosne, fuja, demonstre impaciência ou seja nervoso não servirá para trabalhar. Se não interage, não poderá auxiliar ninguém.

Exemplos de animais de terapia.

1-Cavalos e Burros

A Hipoterapia e asinoterapia são muito importantes no acompanhamento de crianças com paralisia cerebral, autismo, hiperactividade e síndrome de Down, tanto em termos fisicos, como em termos de ligação emocional. Não só o montar o animal ou interagir com o mesmo, como, consoante o caso, tratá-lo , em termos de o alimentar e escovar, é benéfico para a coordenação motora e para o amor próprio. São exemplos já seguidos no nosso país com excelentes resultados. Em países como os Estados Unidos e Inglaterra a terapia com golfinhos é igualmente utilizada com muito sucesso como coadjuvante da hidroterapia.

2-Cães e Gatos

Os cães são muito usados em terapia, inclusivamente raças injustamente vistas como más, como o rottweiler, que pela sua autoconfiança e autodominio é um excelente animal de apoio e usado pelas equipas de terapeutas.

Desde os casos referidos anteriormente, passando pelas enfermarias de hospitais até aos lares de idosos, as suas visitas permitem um aumento da auto-estima e do bem estar. Crianças com problemas tornam-se mais abertas e comunicativas .

Colocando um parêntesis, o estabelecimento prisional de Monsanto possui inclusivé um canil onde as pessoas podem deixar os seus animais de férias, sendo o seu tratamento da responsabilidade dos reclusos como parte do programa de recuperação, na interacção com os outros presos e com os guardas prisionais..

O simples facto de acariciar um cão ou gato é calmante e parte da recuperação passa pelo bem estar psicológico. Um cão ou um gato numa enfermaria pediátrica humaniza o ambiente ainda mais que a simpatia das enfermeiras.

Um cão, um gato ou uma ave, são por vezes o único suporte dos idosos sem familia e a sua razão última de viver, diminuindo a sua carga de ansiedade e evitando depressões.

Nas escolas, existir um animal ao cargo de uma turma (sempre, note-se sob a supervisão de um professor) aumenta a auto-estima e o sentimento de pertença ao grupo das crianças, bem como de responsabilização perante a sociedade.

Podemos assim ver que embora os animais não sejam já os parceiros principais ao lado do homem em termos de protegê-lo dos animais selvagens, guardando rebanhos, ou servindo de meio de transporte, continuam assim mesmo, a ser essenciais, ajudando-nos a viver melhor e a superar as situações que advêm do nosso dia a dia ou do cada vez mais complexo modo de vida urbano

Fonte: www.hospvetprincipal.pt/terapiaanimal.htm

quinta-feira, 10 de junho de 2010

Terapia com animais

Achei este texto no blog umolharsobreoautismo.blogspot.com, e resolvi postar. É lindo sabermos que além do amor incondicional que eles nos oferecem, ainda podem ajudar a curar ou melhorar  as doenças. Bjs, Nati

Terapia com Animais


Estudos demonstram que os animais podem ajudar-nos com as dificuldades da vida, trazendo suporte e melhora da nossa saúde e da nossa própria auto-estima. Os animais tocam em quase todas as áreas das nossas vidas e invoca diferentes sentimentos, dos quais o amor, a compaixão, a felicidade, o ódio, o medo e a rejeição. Quando cuidamos de um animal, também aprendemos muitos comportamentos diários, tais como a limpeza, arrumação, preparação dos alimentos e responsabilidade.

Os animais são poderosos aliados para pessoas com necessidades especiais. Eles têm a capacidade de gerar mudanças no processo de aprendizagem e desenvolvimento. A maior dificuldade nas várias terapias é estabelecer uma atmosfera e uma sensação de intimidade, mas com animais de estimação – que sempre receberam os seus cuidadores com um amor incondicional – este processo torna-se muito mais fácil.

Os animais podem se tornar os nossos melhores amigos, necessitando da nossa protecção e ajuda. Eles têm também o poder de nos afectar. Domesticar um animal tem uma influência calmante nas crianças e ensina-as como comunicar com o ambiente. Em certos casos, os animais também servem de quebra-gelo, eles neutralizam os mecanismos de defesa da criança e proporcionam um contacto mais focalizado. Na presença dos animais, os terapeutas conseguem construir uma verdadeira e íntima relação com as crianças e assim começar um intervenção terapêutica.

Esta terapia tem como principais objectivos:

· Fortalecer laços sociais;

· Habilitar a criança a obter um maior conhecimento dela mesma e do ambiente que a rodeia;

· Aprender como tratar animais e pessoas com sensibilidade;

· Desenvolver uma maior auto-estima.

A terapia com animais mais conhecida é a que utiliza os cavalos como meio terapêutico. A esta terapia específica designamos de Hipoterapia.

A Hipoterapia tem como principais objectivos:

· melhorar o tónus muscular;
· o equilíbrio;
· a postura;
· a coordenação;
· o desenvolvimento motor;
· o bem-estar emocional.

A Hipoterapia é um termo que se refere ao uso do movimento do cavalo como uma estratégia de Fisioterapeutas, Terapeutas Ocupacionais e Terapeutas de Fala para resolver deficiências, limitações funcionais e disfunções neuromusculosqueléticas. Essa estratégia é usada como parte de um programa integrado de tratamento para alcançar resultados funcionais.

A marcha do cavalo fornece input sensorial através do movimento, que é variável, rítmico e repetitivo. As respostas de movimento resultantes do paciente são similares aos padrões de movimento da cintura pélvica (bacia) do humano durante a caminhada. A variabilidade da marcha do cavalo permite ao terapeuta classificar o grau de input sensorial para o paciente e, em seguida, utilizar este movimento, em combinação com outras estratégias terapêuticas para alcançar os resultados desejados. Os pacientes respondem entusiasticamente a esta agradável experiência de um ajuste natural.

O cavalo proporciona uma base de apoio dinâmica, tornando-se uma excelente ferramenta para aumentar a força e controle do tronco, o equilíbrio, uma melhor postura e planeamento motor. Os movimentos do cavalo proporcionam inputs sensoriais vestibulares, proprioceptivos, tácteis e visuais. Durante as diferentes transições da marcha, a criança deve realizar ajustes subtis do tronco para manter uma posição estável. Os efeitos do movimento sobre o controle postural, planeamento motor e sistemas sensorial e motor pode ser usado para facilitar a coordenação, a aquisição de respostas, controle respiratório, integração sensorial e capacidades de atenção.

Os cavalos utilizados no tratamento devem obedecer a critérios específicos de selecção de qualidade, temperamento e formação. Mesmo quando um cavalo ideal é utilizado, a qualidade do tratamento e os resultados estão baseados na formação especializada do terapeuta, a sua experiência clínica e perícia, e a boa integração da utilização do cavalo num abrangente programa de tratamento.

O terapeuta ocupacional, com uma especialização em Hipoterapia, é capaz de combinar os efeitos do movimento do cavalo com outras estratégias de intervenção para trabalhar o controle motor fino, integração sensorial, capacidade de alimentação, capacidades de atencão e capacidades funcionais da vida diária de uma maneira progressivamente desafiadora.

A hipoterapia tem demonstrado inúmeros resultados positivos. A criança com PEA pode receber desta terapia muitas capacidades funcionais, que promovem a sua independência.

sábado, 5 de junho de 2010

Frase da semana

As histórias têm muito mais exemplos da fidelidade dos cães que dos amigos .


Alexander Pope

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Visitem: movimentovamosadotarumcao.blogspot.com

O Blog Movimento Vamos Adotar um Cão está de cara nova!!! Aproveito para parabenizar o Leon, idealizador deste projeto tão lindo, que lá em Salvador ajuda a encontrar uma lar a tantos amiguinhos abandonados.
Leon, Parabéns pelo teu projeto e também pelo novo layout do teu blog. Realmente ficou lindo.
Convido a todos a visitarem o blog: movimentovamosadotarumcao.blogspot.com

Um Grande Bj a todos, Nati

sábado, 29 de maio de 2010

Blog Movimento Vamos Adotar um cão

Gente!

Neste um ano de blogueira, conheci muita gente legal por aqui... Uma destas pessoas especiais é o Leon, do blog Movimento Vamos adotar um cão, lá da Bahia. Gentilmente, ele me convidou para participar de uma entrevista lá no blog dele e hoje ela foi publicada. O linck é: http://movimentovamosadotarumcao.blogspot.com/2010/05/reportagem-e-entrevista-com-mae-cao-mae.html.
Aproveitem também para conhecer, seguir e desfrutar deste blog e deste projeto tão legal desenvolvido pelo Leon.
Espero que gostem!

Um grande beijo, Natalia

Frase da semana

O dinheiro lhe comprará um lindo cão, mas jamais comprará o abanar do seu rabo .

Henry Wheeler Shaw

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Circo

POR QUE CIRCO LEGAL NÃO TEM ANIMAL?

Um dos argumentos utilizados por aqueles que criticam a Lei do Circo é de que as crianças ADORAM ver animais no picadeiro. Mas devemos levar em conta que as crianças são inteligentes e merecem nossa consideração, têm o direito de conhecer a verdade. Basta explicar-lhes o que significa a restrição da liberdade desses animais, a exploração em cima da sua dor, a falta de respeito para com eles, o sofrimento e o estresse de uma vida acorrentada, algemada, enjaulada, para que essas crianças digam NÃO aos circos com animais.

Quem defende a permanência dos animais nos circos, defende apenas a sua própria nostalgia. Não pode argumentar que é cultura (pois cultura não se faz em cima da dor e do sofrimento de nenhum ser vivo); não pode argumentar que é educação (porque educação não se constrói em cima da omissão, do desrespeito e da mentira); não pode argumentar que é espetáculo (a não ser que defenda um espetáculo de terror); não pode argumentar que é alegria (porque um animal enjaulado durante uma vida inteira NÃO TEM ALEGRIA, ao contrário, é um animal triste e cheio de traumas); não pode argumentar que é diversão (porque é imoral divertir-se com o sofrimento de outro ser - o animal sofre e seria um absurdo pensar que ele não sente falta do movimento, do espaço, da dignidade perdida, dos companheiros de espécie, das atividades normais de uma vida em liberdade). Quem defende a permanência dos animais nos circos não deveria argumentar absolutamente nada, pois não tem capacidade de compreender que os animais são seres vivos, com direitos assegurados por lei, e mais, com sentimentos. Quem defende sua permanência nas jaulas incômodas, sujas e apertadas desconsidera esses direitos apenas para satisfazer seu egoísmo. É alguém que paga para ver um número ridículo de um elefante sentado em um banquinho (e a que custo ele chegou a isso...). Que mórbida diversão! Por esse "maravilhoso espetáculo" sacrificam a liberdade, o conforto, o bem estar, os sentimentos e, muitas vezes, a vida de outro ser!

NÃO EXISTE ANIMAL DE CIRCO, EXISTE ANIMAL EM CIRCO

Maria Luiza Nunes

Presidente do MGDA - Movimento Gaúcho de Defesa Animal

"A verdadeira bondade do homem só pode se manifestar com toda a pureza, com toda a liberdade, em relação àqueles que não representam nenhuma força. O verdadeiro teste moral da humanidade (o mais radical, num nível tão profundo que escapa ao nosso olhar) são as relações com aqueles que estão à nossa mercê: os animais. É aí que se produz o maior desvio do homem, derrota fundamental da qual decorrem todas as outras." - Milan Kundera

domingo, 23 de maio de 2010

Frase da semana

"Os gatos sabem o momento em que seus donos vão acordar - e os despertam dez minutos antes." (Jim Davis)

sábado, 22 de maio de 2010

Dicas para o Banho

Os cachorros são animais que não suam e por isso não costumam ficar mal cheirosos. Daí necessitarem de poucos banhos, uma vez por mês. O banho deve ser dado com água morna e produtos neutros próprios para animais. Tomar cuidado para não entrar água e sabão nos olhos e orelhas. No inverno evite banhos. Procure escovar o seu cachorro, pois assim você estará eliminando os pêlos mortos, escamações de pele morta e outras impurezas.

ARTIGO: Hora do Banho (Fonte: www.familiapet.com.br)

A grana está curta? Não dá para bancar semanalmente o banho no pet shop? Não deixe seu amiguinho sujo e nem faça uma sessão de tortura caseira.

Nos dias de hoje, não é sempre que se pode levar o seu lulu no pet shop para tomar um belo banho. Às vezes, o jeito é encarar um chuveiro em casa mesmo.

Então, se você vai se aventurar a embelezar seu amiguinho, preste atenção em alguns cuidados que evitarão que seu cão odeie o banheiro da sua casa:

- Dê banho pela manhã.

- Use água limpa e sabão ou shampu neutro.

- Nunca use sabão de coco. Ele é alcalino e agressivo à pele do animal.

- Não esqueça de proteger os ouvidos com bolas de algodão. Os ouvidos dos cães são muito sensíveis.

- Use água morna. Se a água estiver quente demais, o animal pode ter estresse calórico, caracterizado por hemorragia pulmonar.

- Não use banheira.

- Use secador de cabelo em uma distância de 30 cm dos pelos. Cuidado com o barulho no ouvido.

- Use uma escova de aço flexível para escovar o pêlo junto com o secador.

- Limpe as orelhas com cotonetes com muito cuidado para não introduzi-los demais.

- Após o banho, dilua 20ml de cloro em 20 litros de água e higienize o box. Espere secar para pisar com segurança.

EVITE:

- Não faça a tosa higiênica, que limpa os pêlos da boca e dos genitais, em casa.

- Evite também cortar as unhas. Deixe isso para ser feito no pet shop porque se cortar muito, pode provocar hemorragias.

- Evite talcos que podem ser ingeridos ou inalados pelos cães.

Se o seu amiguinho não é muito chegado à água, aumente o intervalo de tempo entre os banhos de uma semana, ou dez dias, para duas semanas.

Faça do banho uma festa, brinque bastante com seu bichinho sem deixar cair água ou sabão na cara dele. E, principalmente, não bata no cão. Trate-o com carinho, senão a aversão à água pode aumentar.

Lembre-se:

Só dê banho no seu cachorrinho após o quarto mês de vida, depois de dadas todas as vacinas. Antes disso, faça a higiene com uma toalha umedecida em 10 litros de água morna, uma colher de sobremesa de álcool e outra de vinagre. Passe a toalha a favor e no sentido contrário aos pêlos e, em seguida, seque com secador. Com outra toalha, umedecida só em água morna, limpe os genitais.

terça-feira, 18 de maio de 2010

Diário de bordo.

Hoje a Flor ficou Fraquinha... desmaiou!
Chamamos o veterinário e ele disse que é descalcificação, muito comum em cadelinhas amamentando... Fiquei apreensiva, mas ela está bem! Está comendo e voltou a sua rotina normalmente.
Apenas vamos seguir os conselhos do veterinário para que os bebes não mamem tanto quanto tem mamado... Os gordinhos são verdadeiros sangue sugas! Mas estão lindos e saudáveis, e isto é o que importa!
Bjs, Nati

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Mais um famoso de atitude nobre!

Parabéns Falabela! Com certeza a dona era uma doida! Nati

Falabella adota cachorrinha abandonada


A família do ator, diretor e autor Miguel Falabella aumentou nesta segunda-feira, 17. Durante a tarde, quando Falabella foi tomar a vacina da gripe, uma cachorrinha foi jogada de um carro e ele não pensou duas vezes em adotar o bichinho. Em seu Twitter, o ator postou uma foto de Lakmé! Isso mesmo, até nome a cadela já ganhou. "Lakmé. Encontrada hoje na rua e já com cara de top", brincou Miguel. "Fui tomar vacina e tinha uma confusão em Ipanema. Uma doida jogou uma cadelinha pra fora do carro e foi embora. Adotei. Batizei de Lakmé... Quem não ama os animais, não ama gente. Qui n'aime pas les bêtes, n'aime pas les gens!", continuou ele, que ainda fez graça. "Do abandono à fama. Lakmé pode vir a estrelar uma novela mexicana em breve".

Ainda segundo Falabella, neste momento Lakmé está na veterinária e parece ser saudável.

Fonte: Portal Caras

sábado, 15 de maio de 2010

Frase da semana

"Olhe no fundo dos olhos de um animal e, por um momento, troque de lugar com ele. A vida dele se tornará tão preciosa quanto a sua e você se tornará tão vulnerável quanto ele. Agora sorria, se você acredita que todos os animais merecem nosso respeito e nossa proteção, pois em determinado ponto eles são nós e nós somos eles." (Philip Ochoa)

A Ana também é tudo de bom...

Vejam mais uma famosa que entrou para nossa lista de pessoas "do bem".
 Obrigada Ana por ser uma amiga dos nossos melhores amigos!


Ana Hickmann doa roupas para campanha Adotar é tudo de bom

Renda das peças será revertida em prol de ONGs que cuidam de pets abandonados

Apresentadora abrirá calendário de vendas especiais da Campanha Adotar é Tudo de Bom

Mais uma famosa acaba de abraçar a campanha Pedigree Adotar é tudo de bom. A apresentadora Ana Hickmann anunciou que, a partir do dia 8 de maio, colocará à venda algumas peças de seu guarda-roupa pessoal. O objetivo é reverter a verba em prol da campanha.

Os mais de 60 itens estarão disponíveis até o dia 22 de maio, no espaço Pedigree Adotar é tudo de bom da loja À La Garçonne, em São Paulo. A colaboração de Ana Hickmann segue o calendário de vendas especiais promovidos pelo programa, que espera arrecadar o máximo possível para repassar às ONGs integrantes do projeto.

Segundo Cynthia Schoenardie, gerente responsável pela campanha, dentre as peças da apresentadora, estão inclusas roupas utilizadas em momentos marcantes de sua carreira. “Fiz questão de separar peças lindas e que fizeram parte da minha história e carreira. A venda especial será um ótimo momento para as pessoas renovarem seu visual, presentear com itens exclusivos e o principal: ajudar a causa dos cães abandonados”, explica Ana Hickmann.

Para 2010, estão programadas outras vendas especiais mensais, todas com a venda de objetos pessoais de celebridades que abraçaram a campanha. “Outros nomes de peso já estão confirmados, mas ainda em sigilo”, revela Cynthia.

Serviço:

Bazar Pedigree Adotar é tudo de bom by Ana Hickmann

Quando: de 08 a 22 de maio, de segunda à sábado das 10h às 19h; domingos das 12h às 18h

Local: À La Garçonne - Rua João Moura, 395 – Pinheiros, São Paulo

FONTE: UOL

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Olha que coisa mais linda, mais cheia de graça...

Os filhotinhos da Flor!
Apresento-lhes: Joaquina e Joe:
Bjs, Nati

sábado, 8 de maio de 2010

Frase da semana

"Um cão é a única coisa na terra que o ama mais do que ama a sí mesmo."

Bjs, Nati

domingo, 2 de maio de 2010

Nasceram!

Nasceram os filhotinhos da flor! Hj eles estão completando uma semana. São dois... Uma fêmea e um macho! Lindos e estou babando!!!
O parto foi tranquilo e a flor deu conta do recado sozinha. Uma flor mesmo! Uma fotinho para vcs apreciarem as belezuras. Bjs, Nati

sábado, 24 de abril de 2010

Frase da semana

"O gato é médium, bruxo, alquimista e parapsicólogo. É uma chance de meditação permanente a nosso lado, a ensinar paciência, atenção, silêncio e mistério. O gato é um monge portátil à disposição de quem o saiba receber." (Artur da Távola)

quinta-feira, 22 de abril de 2010

João

Oi eu sou o João! O filho mais velho da minha mãe... Alguns já me conhecem pois lá no início do blog minha mãe contou minha história.
Não gosto muito de bater fotos, sou envergonhado, mas de vez em quando faço uma pose para minha mãe ficar feliz... Sou um doce. Se não fosse um cão alguns diriam que sou um homem para casar. Sempre fui muito amado e retribuo isto todos os dias. Amo minha família! Au Au

quarta-feira, 21 de abril de 2010

As últimas...

A Gatinha Lina foi castrada e está em plena recuperação. Agora, após uma semana que está se animando, voltando a comer regularmente e até caminhando pelo pátio. Ela esteve muito abatidinha, mas agora já tá bem melhor!

A Flor, está quase ganhando seus Babys. Tá linda e muito barrigudinha. A Gravidez está sendo saudável e tranquila.

Novidades vou contanto na sequencia!!!

Bjs,

Nati

sábado, 27 de março de 2010

Das melhores coisas...

Achei esta foto na net e resolvi postar...
Tem explicação um olhar destes? Coisa linda....
Bjs, Nati

quarta-feira, 24 de março de 2010

Novidade

Minha princesinha Flor está grávida!!! O Guri, o namorado dela passou uns tempos por aqui e deixou a Flor apaixonada, e cheia de filhinhos.
Quero deixar registrado que foi uma cruza consciente, onde os filhotes já estão todos destinados a pessoas que GOSTAM e muito de cães, pois todos sabem que sou a favor da castração.
Pois é, o gatinho Manoel vai ganhar irmãos... (ela amamentou ele quando tiramos o gatinho das ruas, mesmo sem filhos criou leite para amamentar o bebe gato). To muito feliz, e na espectativa de ver meus netinhos... hehehe

Bjs a todos, Nati


Legenda: Daqui a alguns dias estarei assim... só que serão de verdade!!!

terça-feira, 23 de março de 2010

Frase da semana

Não importa que sejam poucas as suas posses e o seu dinheiro. Ter um cão torna-o rico .


Louis Sabin

segunda-feira, 15 de março de 2010

É por isto que eu admiro cada vez mais a Martha Medeiros...

Martha Medeiros: Virei gente por causa de um bicho

Para uma classe específica de leitores, antes de adotar um gato, eu era uma gélida colunista sem alma

Serei fanática por algo? Por alguém? Adoro os filmes do Woody Allen, mas compreendo quem não goste, o que me exclui da tribo dos xiitas. Considero que passar a vida sem ter um filho é abrir mão de viver uma experiência intensa, mas quem nunca teve pode ser feliz da mesma forma, ou mais. E quase não aceito que alguém não goste de vinho, mas há quem prefira cerveja, e há os abstêmios, e todos convivem bem, então está tudo em paz. Concluo que não sou fanática por coisa alguma. Nada me decepciona de forma irreversível ou me encanta de forma abobalhada, não mudo de opinião sobre as pessoas por causa de seus gostos ou hábitos, não sou defensora inconteste nem de mim mesma.

Posto isso, me declaro estarrecida diante dos absolutamente obcecados por bichos. Escrevi dia desses que havia adotado um gatinho e que estava muito satisfeita com ele, logo eu que nunca tinha pensado em ter gato, nem cachorro, nem jaguatirica, agora tenho um gato, e isso é tudo, tenho um gato, a vida segue.


Não, a vida não segue.

Diante da minha revelação, recebi alguns e-mails me cumprimentando pela aquisição, ok, e algumas pessoas me deram conselhos de como cuidar bem dele, ok, e alguns outros me mandaram fotos e vídeos de seus próprios bichanos, ok. Gentilezas muito bem-vindas.

Mas para uma classe específica de leitores, uma profunda mudança aconteceu. Segundo eles, houve um divisor de águas na minha vida: eu era uma antes do gato, e agora sou esta, depois do gato. Sendo que esta é a que conta. Antes eu não vivi. Antes eu era uma gélida colunista sem alma. Antes eu tinha apenas uma família e uma profissão, ou seja, nada. Agora sim, virei gente.

Pareço estar brincando? Estou e não estou. Estou porque tento descrever meu assombro com alguma graça, mas também não estou, porque meu assombro não é fictício, ele é real. Havia muitas pessoas que desconfiavam da minha integridade por ainda não ser dona de um mascote, que não confiavam em mim por eu não ter um animalzinho de estimação, e que agora se declaram aliviadas por descobrir, finalmente, que sou um ser humano. Você, que não tem gato, nem hamster, nem iguana, nem passarinho, nem peixe, nem tartaruga, você, meu caro, está morto e não sabe.

Se Fernandinho Beira Mar espalhar que adotou três cachorros órfãos e dois gatos, sendo um siamês cego e um persa com três patas, haverá piquete em frente à penitenciária exigindo sua libertação. Se o Arruda pedir permissão para que seu porquinho-da-índia vá visitá-lo, será reeleito. Se Mahmoud Ahmadinejad discursar a favor das chinchilas, é capaz de conseguir convencer a humanidade de que não houve o Holocausto. Descobri que quem gosta de bicho merece abrandamento de pena, não importa a folha corrida de seus crimes, e quem adota um, ou vários, está imunizado daqui até a eternidade. Já quem gosta apenas de gente terá que continuar se explicando.

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Para ler! Principalmente quem é do RS...

TEMPO DE MATAR CAVALOS


Meu avô era um sábio analfabeto. Certas coisas ele não compreendia: as mulheres que via na televisão bronzeando-se ao sol do meio-dia e homens cansando cavalos inutilmente. Antes de os cientistas darem o alerta ele já conhecia os perigos do sol para a pele dos humanos e para o fôlegos dos animais. Meu pai seguia a mesma lei: no verão, não se encilhava cavalo das 11 horas da manhã até quatro e meia da tarde. Salvo extrema necessidade. Por isso, levantavam muito cedo. As principais lides campeiras tinham de ser feitas antes de o sol ganhar o alto do céu. Andar a cavalo sem necessidade no calor era para eles coisa de gente da cidade. Pior do que isso, era algo condenável. Bárbaro.

As notícias de que dois cavalos morreram na tal cavalgada do mar horrorizariam meu avô e meu pai. Eles adoravam cavalos. Cuidavam deles com muito carinho. Veriam nessa exibição de cavaleiros urbanos, num dos verões mais quentes dos últimos tempos, um exibicionismo despropositado, uma falta de conhecimento escandalosa e uma maldade intolerável com os bichos. Para quê? Mais espantoso é o lema da brincadeira deste ano: “mulheres a cavalo pelo Rio Grande”. Um gaúcho verdadeiro, da campanha, diria com algum deboche: parem com isso, soltem os cavalos pelo Rio Grande. Com um solaço desses só há uma coisa a fazer: ficar mateando ou sesteando embaixo de um cinamomo. O resto é frescura de gente maturranga.

A secretária da Cultura, Mônica Leal, está contribuindo para maltratar cavalos na beira do mar. Ela é entusiasta desse tipo de ação cultural. Enquanto ela ajuda a estafar cavalos, sentindo-se uma nova Anita, a cultura do Rio Grande do Sul estrebucha. A sala de cinema Norberto Lubisco foi fechada. Tem cinema no shopping. Voltaire Schilling, um dos nossos intelectuais mais brilhantes e tradicionais, foi demitido da direção do Memorial do Rio Grande do Sul. Parece que ele não tinha o que conversar com a chefe. Afinal, não é de andar a cavalo na praia com sol quente. A casa está caindo, os cavalos morrendo, o circo pegando fogo. Mas a secretária Mônica Leal está firme na montaria. Sempre. Ela é dura na queda. Corresponde a todos os clichês imagináveis.

Agora, entre nós, há sem dúvida um ponto obscuro, um elemento que exige investigação séria: por que mesmo Mônica Leal tornou-se secretária da Cultura? É um tempo estranho este. Quando não há mais necessidade alguma de movimento, todos querem se deslocar. Especialmente pelos meios mais anacrônicos. Pode haver algo mais excitante do que permanecer no lombo de um cavalo, com o sol a pino, até o bicho morrer? Tudo isso em nome da tradição! Os franceses do século XVIII usavam perucas empoadas. O Ministério da Cultura da França devia lutar pela recuperação dessa tradição eliminada pela modernidade. Vou comprar um cavalo para matar na próxima cavalgada.

JUREMIR MACHADO DA SILVA > correio@correiodopovo.com.br

CORREIO DO POVO

Frase da semana

"Os cães são melhores que os seres humanos porque eles sabem mas não contam."

( Heráclito )

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Como cuidar de cães recém nascidos

Primeiro, o mais urgente: um guia geral de como recolher e cuidar dos peludinhos que aparecem em nosso caminho, abandonados na rua, cabendo a nós a função de pai e mãe. Em seguida, não custa nada - pelo contrário, é até bom - darmos uma assessoria às ninhadas caninas que tivermos no aconchego do lar, especialmente se forem muitos filhotes.
Filhotes encontrados na rua

Para começar, uma ligeira cronologia. O período mais crítico são as primeiras quatro semanas de vida do bicho: ele perde o cordão umbilical por volta do terceiro dia de vida, abre os olhos entre dez dias a duas semanas, ganha os primeiros dentinhos em 30 a 40 dias. E precisa de alimentação a cada duas horas na primeira semana de vida, caindo para três horas nas duas semanas seguintes e quatro na quarta semana. (Isso mesmo, dormir para quê? Mas, tal como com nossas crias humanas, perder sono é um preço pequeno a pagar pelos resultados.)

Como lembrei em outro artigo, o crescimento dos caninos não é linear como o dos humanos: os peludos ficam adultos em um ano, e na primeira infância seu peso chega a aumentar 10% ao dia! Daí eles precisarem se alimentar muito bem, e com frequência, nas primeiras semanas de vida.

Se o filhote for realmente pequetitico, a primeira coisa a fazer é o teste de sucção, colocando-lhe um dedo na boca para ele "mamar". Caso ele não mame, poderá estar debilitado a ponto de necessitar alimentação intravenosa. Corra então ao veterinário - e aproveite para verificar se o bicho não tem alguma fratura ou problema de pele.

Providencie também itens como muitas toalhas grandes e pequenas, termômetros portáteis e de parede (para medir as temperaturas do bicho e do ambiente), fio dental, uma balança pequena, seringas sem agulha, muitos jornais velhos (para o bicho usar como banheiro) e muitos sacos para lixo. Fique de olho em sintomas como desidratação, diarreia, vômitos, choro contínuo e pouco aumento de peso; em caso de dúvida, procure o veterinário.

Ah, sim: banho só a partir dos dois meses de idade, quando o sistema imunológico do canino contra afecções de pele já estiver desenvolvido. Antes disso, limpe o bichinho com uma toalha ou pano embebido em soro fisiológico; para o ânus e genitais, algodão com água morna; e, para limpar os olhos, solução de ácido bórico.

E o que o cão vai papar? Mais uma comparação com seres humanos: o ideal nas primeiras semanas de vida é leite materno. Se você tiver uma cadela adulta em casa, ela será uma excelente mãe adotiva para amamentar o peludinho - além de cuidar dele, mantendo-o limpo e aquecido (sempre me lembro de um editor com quem trabalhei e que saudou meu primeiro livro dizendo "vamos lamber a cria!"). Caso não tenha, evite leite de vaca integral e use leite desnatado morno. Dê-lhe leite na mamadeira até três semanas de vida, trocando então por papinha (especial para cães ou ração amolecida com água morna), substituindo a mamadeira aos poucos; na quinta semana ele já poderá - e deverá - entrar na ração seca normal para cães.

Atenção: lembre-se de que cão também é gente, mas nem tanto: nem pense em tratar seu bebê como humano a ponto de dar-lhe mamadeira colocando-o de barriga para cima, pois cão nasceu para se alimentar de barriga para baixo, de modo que o alimento não lhe invada os pulmões causando pneumonia ou até morte por asfixia.

Pode-se reforçar a mamadeira do filhote, com uma receita que li na Cães & Cia.: 200ml de leite com lactose, 50g de creme de leite, meia colher de manteiga e uma gema de ovo cru. Nham!

A passagem para a alimentação sólida irá coincidir com a primeira vermifugação; as vacinas esperam mais um pouco, aos 45 dias de vida. O quartinho do nenê peludo deve ser bem ventilado, porém sem correntes de ar; para a hora de nanar, vai bem um cobertor térmico ou bolsa de água quente, com temperatura de aproximadamente 30 graus na primeira semana de vida e 24 graus até a quinta semana. Se você precisar usar estufa ou incubadora, não se esqueça de uma bacia de água para manter o ar suficientemente úmido.

Filhotes nascidos em casa

Aí fica mais fácil, mas é ideal ter à mão a parafernália que mencionei acima: toalhas, balança, jornais velhos, seringas e tudo o mais. E veja só: à medida que a mãe for tendo contrações para dar à luz, coloque os recém-nascidos de volta junto com ela, pois cuidar dos recém-nascidos relaxa a cadela e estimula as contrações para nascimento dos filhotes restantes.

Quando o trabalho de parto tiver terminado, dê à mamãe canina uma tigela de leite (pode ser também leite condensado e água com uma gema de ovo), como prêmio, carinho e estímulo para ela produzir mais leite. Alguns filhotes nascem silenciosos demais e podem precisar do equivalente ao tapa no bumbum dos bebês humanos: uma boa esfregada com uma toalha rugosa ou mergulhos rápidos alternados em bacias de água fria e quente (só até o pescoço do peludo!) até ele começar a respirar normalmente, enxugando-o em seguida.

Caso não haja tempo de encher bacias (cada segundo conta para "trazer à vida" um filhote!), abra as torneiras de água quente e fria. Se isso não funcionar, respiração artificial pode resolver: coloque o cão deitado de costas, puxe-lhe a língua para fora e sopre suavemente em sua boca enquanto massageia seu peito; isto pode levar até vinte minutos. Caso o filhote esteja "entupido" de muco, use a seringa para removê-lo.

Pode acontecer de a mãe rejeitar um dos filhotes, por sentir que há algo errado com ele ou simplesmente por ele ser menos quentinho que os outros; experimente então aquecê-lo um pouco com um cobertor ou bolsa de água quente e devolvê-lo à mãe.

Ah, sim: evite que muita gente fique bulindo demais com o bichinho, para ele não se incomodar nem contrair doenças. Enfim, uma das melhores coisas da vida é tratar e salvar entes queridos, inclusive cães de estimação, especialmente na situação e idade em que eles mais precisarem. E, como diz aquele samba em que Billy Blanco brinca com o famoso poema de Coelho Neto sobre a maternidade, "é prova de juízo a gente por vontade padecer no paraíso".

Fonte: Yahoo notícias

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

Amigas

Minhas amigas lá de Floripa... Shadon e Kaia... Lindas!

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Vira-lata de três patas desbanca cães de raça em concurso de fantasias em SP

A cachorra sem raça definida Kinha, de 7 anos, foi a estrela de um concurso de fantasias de carnaval realizado na tarde desta segunda-feira (15) no Shopping Pátio Higienópolis, na região central de São Paulo. Com três patas, ela venceu seus concorrentes vestida de Branca de Neve e encheu de orgulho a proprietária, a veterinária Márcia Cury Cioffi, de 30 anos. “A gente viu um monte de cães de raça e acho importante lembrar que foi uma vira-lata que venceu”, disse ela depois do concurso.


Márcia contou que Kinha foi abandonada há 7 anos, com a pata traseira quebrada. Ela adotou a cachorra no Centro de Controle de Zoonoses de São Paulo e o animal precisou ter a pata amputada. A história da cadelinha faz a veterinária ficar ainda mais feliz com o resultado do concurso. “Ela é uma cachorra extremamente feliz, nem percebe que tem só três patas”, contou. “E, vira-lata como ela, tem um monte esperando para ser adotado.”

O prêmio do concurso foi uma cesta cheia de produtos para cães e uma medalha de primeiro lugar. Três jurados escolheram os três vencedores. “Eu acho o máximo [esses concursos] para quem adora cachorro”, disse a veterinária. A escolha da fantasia tem uma explicação. “É porque a gente acha ela uma princesa”, disse Márcia. É a primeira vez que Kinha participa de concursos do tipo.

O segundo lugar ficou com a pinscher Catarina, vestida de colombina. O terceiro foi o lhasa apso Eugênio, de 3 anos, que vestiu uma fantasia de mago. A dona de Eugênio, a professora universitária Daniela Reis, de 35 anos, disse que decidiu participar “por diversão”. “É por amor aos cachorros e acho uma diversão participar. E carnaval é para todos, inclusive para cães”, afirmou. O “mago” tinha até torcida organizada na plateia, cheia de crianças que se divertiram com o desfile dos animais.

O professor de dança Ricardo Liendo, de 41 anos, trouxe o basset Billy, de 4 anos, que pertence ao filho, e o cão PJ, da mesma raça, de uma prima. “Eu achei interessante, tenho muito amor pelos cachorros e queria participar desse momento”, contou.

Os cães estavam vestidos de mosqueteiro e pirata. A veterinária Fernanda Oliveira, de 30 anos, participou com três cães da raça bulldog. Ela viu uma propaganda do evento enquanto passeava pelo shopping e decidiu inscrevê-los. “Eu adoro participar dessas coisas”, justificou.

Ao todo, foram 32 cães inscritos. A organização considera o concurso um sucesso, porque as 30 vagas disponibilizadas acabaram preenchidas em três dias. Por causa disso, outros dois cachorros foram autorizados a disputar. A administração do shopping pretende repetir o concurso – que teve a primeira edição neste ano – nos próximos carnavais.


Fonte: G1

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Ressaca

Neste Carnaval até os cães estavam de ressaca! Olha que engraçado este fofo que encontrei na Barra da Lagoa em Florianópolis neste final de semana...Um SRD brincalhão, que vive na beira da praia e é a alegria da criançada brincando com sua garrafinha.


Bjs, Nati

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

O melhor de voltar

Cheguei de viajem hoje. Mas qual será a melhor sensação de voltar? Ser recebida por todos seus filhos cães e gatos em uma grande festa com direito a muita correria, lambes e miaus! É o amor incondicional...

Bjs, Nati

sábado, 30 de janeiro de 2010

Matando a sede

Meu jeitinho canino e travesso de tomar água! Adoro esta torneira! E olhem que lingua grande que eu tenho... Minha mãe não me dá uma folga nem na hora de tomar água. Fica sempre me clicando...  FRED

Frase da semana

" Sinto pena de mulheres que continuam comprando casacos de pele, pois nelas faltam dois dos mais importantes requisitos para uma mulher: coração e sensibilidade" . -Jayne Meadows (Atriz)

segunda-feira, 25 de janeiro de 2010

Obesidade em cães e gatos tem relação com comportamento dos donos

Uma das preocupações de todo dono de cão e gato consciente deve ser a obesidade. A questão é que a gordura pode levar o pet a ter vários outros problemas de saúde, como dificuldades respiratórias, triglicérides, colesterol, hipertensão, diabetes, problemas no coração e até mesmo câncer. Segundo a médica Fernanda Fragata, do Hospital Veterinário Sena Madureira, a obesidade pode diminuir o tempo de vida do bicho.


Segundo um estudo da Association for Pet Obesity Prevention (Associação para Prevenção da Obesidade em Animais de Estimação), 44% dos cães e 57% dos gatos dos Estados Unidos foram considerados obesos em 2008.

Este é um número 4% maior que em 2007. Em 2009, um relatório do Conselho Nacional de Pesquisa dos Estados Unidos, divulgado pelo laboratório Vetnil, afirma que 25% dos cães e gatos do ocidente estão acima do peso. No Brasil, estima-se que o problema atinja cerca de 20% da população animal.

Muitos donos, quando notam que o bicho está obeso, reclamam de não conseguir fazê-lo emagrecer. Para que haja a perda de peso, é preciso mudar a rotina tanto do animal quanto dos donos. As necessidades calóricas dos homens é bem maior do que a de um cão ou gato. Por isso, um pedacinho de algo que você esteja comendo, no organismo do bicho, equivale a um pedação.

Donos e bichos precisam mudar de hábitos

O primeiro fator que leva à obesidade animal é o excesso de ingestão calórica, seja por ração, seja por outros quitutes. Em seguida, vem a inatividade física. E tem também a falta de consciência dos donos - afinal de contas, o bicho certamente não abre a geladeira para beliscar guloseimas e também não escolhe o que é comprado no supermercado.

A maioria dos proprietários não resiste ao pedido do pet na hora das refeições e acaba compartilhando com o animal tudo o que come. Nessa história, tanto o dono como o animal criam um círculo vicioso: o bicho vai sempre pedir e o dono vai sempre ceder. Quando não ganha nada, o animal reclama e o dono acaba cedendo.

Por isso, quando se trata de emagrecimento, é preciso mudar os hábitos dos bichos e dos donos. A veterinária Fernanda destaca:

- Lembre-se que um bicho é como uma criança: só se alimenta com o que o dono lhe oferece. Portanto, o papel e envolvimento de toda a família do animal são importantes no tratamento para perder peso.

Avalie: por que seu bicho está gordo?

Antes de tomar qualquer atitude em relação ao peso do seu bicho, é preciso avaliar se ele realmente está obeso. Algumas raças já são mais “cheinhas” por natureza. Segundo Fernanda, alguns problemas hormonais podem causar obesidade, e neste caso, o veterinário saberá identificar.

- Deve-se avaliar o peso e a condição corporal, ou seja, se tem costelas aparentes, se está ou não acinturado, ou se tem acúmulo de gordura na região do pescoço, por exemplo.

Se a causa do problema for o sedentarismo, o animal deverá iniciar gradativamente uma rotina de exercícios, além da dieta indicada pelo veterinário. Vale lembra que animais castrados e idosos têm mais tendência a ficarem obesos.

Lights e etc...

Hoje, o mercado está lotado de rações light, com teor calórico reduzido, mas Fernanda afirma que antes de mudar o cardápio do pet, é preciso consultar um veterinário. Existem remédios que atuam no problema e também devem ser receitados por um especialista:

- Em geral, as rações light funcionam. Porém, deve-se antes consultar um veterinário para ver se existe uma causa de base para a obesidade ou se é somente um excesso de calorias ingeridas.

Dicas para evitar que o bicho fique obeso:

- Defina uma quantidade diária de comida e divida em duas refeições.

- Não deixe o pote com ração à disposição. Quando o alimento está ao alcance, os bichos comem mais.

- Evite comer perto do bicho e mantenha-o longe na hora das refeições.

- Por mais que o bicho peça, não dê a ele o que você come. Se ele perceber que algumas reclamações adiantam, vai pedir comida sempre.

Fonte: R7